FLAB 2017

Sobre Brasília

De um sonho original, encantada visão de Dom Bosco, santo italiano de nome João, nasceu Brasília. Destino erigido no coração do país, lapidado em aço, vidro, mármore, concreto. Fruto esplêndido da fé, da crença e da determinação de um homem singular. Jucelino Kubtschek, presidente do Brasil, que transformou a premonição em testemunho e monumento ao alvorecer de uma diversa, e melhor, humanidade.

Por suas características urbanas únicas, Brasília permite ao viajante conhece-la com extrema facilidade. Em sua principal avenida, o Eixo Monumental, estão encravadas algumas das mais belas peças de uma arquitetura que subverteu conceitos. O conjunto situado à cabeceira das duas largas pistas de rolamento que emolduram um jardim, tapete em verde, é formado pelos prédios do Congresso Nacional, com suas cúpulas invertidas, do Palácio do Planalto e do Supremo Tribunal Federal, com suas colunas de intrigante geometria, sobressaindo a harmonia e a delicadeza de traços.

Patrimônio Cultural da Humanidade tombada pela UNESCO, gestada e dada à luz para o seu coração político e o encontro administrativo do Brasil, Brasília é uma cidade viva, pulsante, em contínua expansão. Aos 43 anos de vida, a mais nova capital do mundo transforma-se em Destino Natural do Turismo de Eventos, com o seu Centro de Convenções que está a ser ampliado, e o Expocenter, pavilhão de feiras e eventos com 58 mil metros quadrados, localizado no Parque da Cidade. Sem falar em dezenas de auditórios e salas de conferências de seus grandes hotéis. Impecável estrutura, apta a abrigar congressos e convenções de qualquer natureza e em qualquer época do ano.

Guarnecida com equipamentos turísticos de alta qualidade, Brasília tornou-se matéria de cobiça das Grandes Redes Hoteleiras internacionais, que no Planalto Central fincaram suas bandeiras. Multiplicaram-se os hotéis, dos mais diversos padrões, na área central da cidade.; Complexo que oferece um total de 27 mil leitos, permitindo aos de complexa agenda uma mobilidade que as tradicionais capitais do mundo há muito perderam.
Estrategicamente situado próximo à cidade, o Aeroporto Internacional de Brasília é o terceiro maior do país. Agraciado com certificado ISSO 9001, recebe, a cada dia, 162 vôos originários de todas as capitais brasileiras, o que transformou a cidade em centro nevrálgico de distribuição de viagens para todo o Brasil, propiciando deslocamento aéreos regulares em curtas distâncias.

O veloz processo de formação social de Brasília, fundamentado no encontro de brasileiros de todos os quadrantes, e a proximidade imediata com os usos e os costumes, cultura que abraça a capital, fez da cidade, um rico, multifacetado mosaico a desaguar em manifestações gastronômicas de matrizes variadas, que ganharam cores mais intensas ao se caldearem com totalidades internacionais. Cosmopolita, em Brasília estão instaladas 90 embaixadas e representações diplomáticas.

São sabores para todos os paladares, em um leque de restaurantes que oferecem desde a tradicional cozinha do Nordeste até manjares que recriam os sabores da selva, de onde desprendem-se, suaves, os perfumes de exóticas especiarias nativas. Sem falar nas casas tradicionais que, à mesa posta, servem iguarias de origem francesa, Síria, alemã, egípcia, italiana, chinesa, espanhola, japonesa e portuguesa. Um convite ao prazer de conviver em sossego, tranqüilidade. Em paz.
Síntese do Brasil, às margens do Lago Paranoá, um dos maiores lagos artificiais do mundo, de águas balneáveis, que permite a entrega ao prazer de viver a intensa e a típica cordialidade brasileira.

Carismática, nasceu Brasília sob um signo específico. O do acolhimento. Da convergência. Mulheres e homens de confissões de fé diversas que se deslocaram – norte e do sul, do nordeste e do sudeste – na década de 50, do Século XX, para dar a vida a uma obra transcendental. Encontro que deu luz a uma sociedade harmônica, contemporânea e, ao mesmo tempo, religiosa.

Gentes que acolhem os que chegam, recebendo-os não apenas na intimidade de seus lares. Mas, também, nos consagrados espaços onde a Deus, e a si mesmos, se entregam.

Oferece a cidade, a quem nela aporta, uma pluralidade religiosa intensa. São igrejas, santuários, mesquitas, espaços consagrados a mitos africanos, templos orientais, casas de culto fundamentadas em revelações espirituais diversas, consagração de um sincretismo inimaginável.

Diversidade que propicia aos que em Brasília desembarcam uma experiência mística inédita, deslumbrante.

Terra prometida da divinação de Dom Bosco, flor grandiosa de um ecossistema situado entre altitudes que variam entre 1.070 e 1.200 metros, a capital do Brasil está plantada em pleno, intrigante, cerrado. Manancial de águas a correrem em lençóis profundos, alimentando a existência de árvores ancestrais: o jacarandá-do-mato, o pau-pombo, o ipê-amarelo, o pequizeiro, a copaíba e a peroba. E, também, frutíferas exóticas, como o buriti e a guariroba.
Além de seus encantos próprios, Brasília é pródiga, por propiciar ao viajante, em seus arredores, um fundo mergulhar em um tempo ido. Próximas à capital, cidades históricas, coloniais, como Pirinópolis, Patrimônio Artístico e Histórico da Humanidade, e Goiás Velho, testemunha o barroco brasileiro. Nelas está a preservada a memória dos séculos XVI e XVII, quando, em seus córregos, em seus rios, os aventureiros de então entregavam-se ao garimpo do ouro e do diamante.

Epicentro da brasilidade, é Brasília em natural portão de entrada para a exuberância do Pantanal, com seus 230 mil quilômetros quadrados. Mundo encantado, paraíso das flores, pássaros e animais, ao qual se chega tanto por ar como por terra, pela rodovia BR-060, que no Estado do Mato Grosso transforma-se em BR-364. Com seus 1.133 quilômetros pavimentados, a viagem permite ao viajante cruzar, ainda no Estado de Goiás, o rio Araguaia, aonde se multiplicam dourados, jaús e pintados. Destino natural de quem, ao redor do planeta, viaja em busca das emoções da pesca farta, da luta contra peixes de grande porte. E extremamente saborosos.

Ao universo da mais preciosa reserva biológica do mundo , a Amazônia Brasileira, também tem fácil acesso o turista a partir de Brasília. Maior floresta úmida do planeta, a região cortada pelo maior rio em volume de água do mundo, o Amazonas, guarda primitivos, ancestrais povos de floresta, como os Yanomami e os Kayapó, e reservas biológicas de fauna riquíssima, da qual as atrações maiores são os botos, os macacos, os jacarés e as onças.

Desconcertante realidade. Pródiga visão de futuro. Brasília extravasa os limites clássicos de uma cidade. Íntima do firmamento, a capital do terceiro milênio é uma sinfonia. Composta por ventos, envolta em azul, banhada pelas matrizes se um sol resplandecente, zeloso de sua magia, criador de um anoitecer indescritível, em rosa, solferino, magenta e prata. E onde a lua, quando é cheia, quando é céu, não é apenas onipotente. É, como a terra e as águas que banha, grandiosa. E generosa como alma do povo brasileiro.